À medida que váários países estão legalizando o verde para uso recreativo e medicinal, cresce também um mercado gigante de empresários, pesquisadores, cultivadores e cientistas do ramo canábico.

Aí surge uma questão importante: as mulheres que atuam nessa área estão tendo visibilidade em seus projetos e pesquisas? =)

Para muitas delas, não. E, por isso, elas começaram a se organizar para conquistar mais espaço e reconhecimento.

Um exemplo de ação é o estudo global Woman In Cannabis: a Living Story, organizado por mulheres de todo o mundo para descobrir e registrar as iniciativas de empresárias, pesquisadoras e profissionais do mercado canábico. O objetivo é, com o tempo, tornar esse setor mais justo e inclusivo.

De acordo com Jennifer Whetzel, organizadora do estudo, os primeiros resultados mostram que as mulheres que trabalham nesse segmento recebem salários desiguais se comparados com os dos homens. 

Além disso, as empresárias do setor canábico têm menos chances de receber financiamento de capital de risco para suas empresas e, por isso, têm menos oportunidades de crescer.

Com a pesquisa, Jennifer acredita que as pessoas e o mercado canábico vão ter mais clareza sobre a importância das mulheres no mundo do verde.

E aí, você acredita que o mundo canábico é inclusivo? Deixe aqui o seu comentário :)

Por Redação Smokebr.