No final de abril, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a produção do primeiro produto à base de CBD no país. 

Essa é uma briga antiga de uma galera que depende da verdinha medicinal para o tratamento de diversas doenças, como esclerose múltipla, doença de Parkinson, epilepsia e transtorno de ansiedade.

Antes do carimbo da Anvisa, os brasileiros só conseguiam comprar medicamentos importados. Agora, a ideia é que o CBD se torne mais acessível para a galera, desde que exista uma prescrição médica.

Outro ponto positivo é que o CBD produzido aqui não foi registrado com uma indicação clínica específica. Isso significa que ele pode ser receitado para todos os casos em que o uso do CBD possa ser bom para o paciente!

Com essa decisão, o Brasil chega atrasado em uma lista de 40 países que já permitem a produção ou a comercialização da cannabis para fins medicionais. Antes tarde do que nunca, não é?

O interessante é que isso não rolou do nada! A real é que o Brasil estava sendo muito pressionado por dois fatores:

  • o mercado da verdinha medicinal é bilionário e o Brasil é um dos países mais populosos do mundo
  • existia uma briga antiga de brasileiros que precisavam do CBD acessível para o tratamento de várias doenças

O resultado é uma notícia boa pra caral*o: essa pressão deu certo e a gente quebrou mais um tabu! 

Por redação Smokebr.